16 de outubro de 2006

Cecília Meireles


A poetisa Cecília Meireles nasceu na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1901. Sua vida foi marcada por grandes tragédias.

Aos três meses de vida, Cecília perdeu seu pai. Quando completou três anos, sua mãe veio a falecer, sendo criada pela sua avó Jacinta Garcia Benevides. Os outros três filhos que seus pais tiveram, nenhum deles sobreviveram.

Com essa experiência de vida, Cecília retratava em suas poesias a tragédia, passagem do tempo e a ausência de sentido na vida.

Iniciou-se na área de literatura com apenas 9 anos de idade, e aos dezoito publicava seu primeiro livro “Espectro”. Apesar de viver numa época a qual o Modernismo predominava, Cecília foi fortemente influenciada por técnicas do Simbolismo, Classicismo, Romantismo, Parnasianismo, Realismo e Surrealismo.

Em 1922, Cecília casou-se com o pintor português Fernando Correia Dias e teve 3 filhos. Mas novamente a tragédia imperou na sua vida. Fernando suicidou-se em 1936 devido a crises de depressão.

Em 1940, casou-se novamente com o engenheiro agrônomo Heitor Vinícius da Silveira Grilo.

Suas obras principais:

  • Criança, meu amor
  • Baladas para El-Rei
  • Viagem
  • A Rosa
  • Ou Isto ou Aquilo
  • O menino atrasado

Aquele que aproxima os que sempre estarão
distantes e desunidos
e separa os que pareceriam
para sempre unidos e semelhantes
enxuga meus olhos
no alto da noite de mil direções.
Encostada a seu peito,
contemplo desfigurada
o negro curso da vida
como, um dia,
do alto de uma fortaleza
vi a solidão das pedras milenares
que desciam por suas arruinadas vertentes.

Cecília Meireles (1901 - 1964)

Nenhum comentário: