27 de junho de 2011

3096 dias - Natascha Kampusch

KAMPUSCH, Natascha. 3096 dias. Campinas: Verus, 2011.

Acabo de finalizar a leitura de 3096 dias de Natascha Kampusch. Acredito que a maioria sabe que, em 2008, uma jovem escapara de seu cativeiro de 10 anos: um velho porão na mansão do engenheiro de telecomunicações Wolfgang Priklopil. Eis que a vítima, Natascha Kampusch, relata nesse livro todo sofrimento e tortura física e psicológica que passou nos 3096 dias ao lado de seu sequestrador.

Recomendo, mas aviso: é um livro forte, repleto de emoção e revolta!

Natascha Kampusch sofreu o destino mais terrível que poderia ocorrer a uma criança: em 2 de março de 1998, aos 10 anos, foi seqüestrada a caminho da escola. O seqüestrador – o engenheiro de telecomunicações Wolfgang Priklopil – a manteve prisioneira em um cativeiro no porão durante 3.096 dias.

Nesse período, ela foi submetida a todo tipo de abuso físico e psicológico e precisou encontrar forças dentro de si para não se entregar ao desespero.

Agora, pela primeira vez, Natascha Kampusch fala abertamente sobre o seqüestro, o período no cativeiro, seu relacionamento com o seqüestrador e, sobretudo, como conseguiu escapar do inferno, permitindo ao leitor compreender os processos de transformação psicológica pelos quais passa uma pessoa mantida em cativeiro, sofrendo todo tipo de agressão física e mental imaginável.

Um comentário:

Nanda disse...

Ei Thais,

Eu já li várias resenhas sobre este livro e não tinha vontade de ler, até pelo conteúdo triste e pesado.

Agora que vc falou que relacionou ele com Quarto e tal, eu fiquei com muita vontade de ler.

bjos
nanda