30 de setembro de 2011

Como Ser Um Pirata - Cressida Cowell

COWELL, Cressida. Como ser um pirata. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2010. (Como treinar o seu dragão, 2)

Como não poderia ser diferente, Cressida Cowell arrasou em “Como Ser Um Pirata”, o segundo volume da série “Como Treinar o seu Dragão”.

O livro retrata as aventuras de Soluço Spantosicus Strondus III e de seu dragão Banguela. Após conseguir passar pela primeira lição para se tornar um verdadeiro Herói Viking (ter conquistado um dragão), Soluço volta para o treino de como ser um verdadeiro pirata, mas como sempre o destino não está ao seu favor.

Durante a aula de combate em alto mar, o navio dos alunos do Prof. Bocão é naufragado devido uma batida com um misterioso caixão. Os alunos, inclusive Soluço, ficaram encantados com esse enigma e convocam toda sociedade viking para decidirem se abrem ou não o caixão que tinha as palavras gravadas: NÃO ABRAM – PROPRIEDADE DO PIRATA BARBADURA, O TERRÍVEL.

Tomados pela curiosidade, o caixão é aberto e nele se encontra um homem dormindo – Alvin, O Fazendeiro Pobre e Honesto que logo se apresenta como um infeliz que foi mutilado ao tentar encontrar o tesouro do Pirata Barbadura.

Possuídos pelo mapa encontrado por Alvin, os vikings juntamente com os alunos e Soluço iniciam uma incrível jornada em busca do tesouro perdido. Mas, o pequeno dragão Banguela desconfia de algo... ou melhor... de alguém – Alvin, O Fazendeiro Pobre e Honesto.

Será que Bengala está certo na sua teoria de conspiração contra Alvin? Soluço será o novo herói dessa aventura? E o tesouro perdido será encontrado?

Uma aventura de tirar o fôlego. Leiam!

Por Thais M.

Feia - Constance Briscoe

BRISCOE, Constance. Feia: a história real de uma infância sem amor. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

Nunca imaginei que poderia existir uma mãe tão sem coração. Este livro Feia é a história real de uma infância sem amor. Imagine uma filha entregar sua fotografia, tirada na escola, para sua mãe. E sua mãe olhava da fotografia para a filha . Da filha para a fotografia. E dizer: “Meu Deus, como você pode ser tão feia. Feia. Feia.”

Essas palavras cruéis são apenas o começo. A mãe de Constance foi sistematicamente violenta com a própria filha, física e emocionalmente, durante toda a sua infância. Apanhando e sendo privada de comida, Constance estava tão desesperada, que foi sozinha até o Serviço Social e suplicou por proteção. Quando isso não deu certo, tentou dar fim à vida, tomando alvejante, uma vez que era chamada de “germe” por sua mãe.

Desenvolveu caroços nos seios, uma situação médica rara para uma criança, por conta dos beliscões nos mamilos e socos desferidos pela mãe.

Quando tinha 13 anos, foi abandonada em casa por sua conta e risco: não havia gás, luz ou comida.
Entretanto, de alguma maneira, Constance encontrou coragem para sobreviver. Esta é uma das mais comoventes, triunfante e inspiradora história que já li em minha vida.

Aconselho esta leitura, pois deve ter muitas Constance neste mundo e que passa despercebida em nossas vidas!!!

Por Marlene S.

28 de setembro de 2011

Como treinar o seu Dragão - Cressida Cowell

COWELL, Cressida. Como treinar o seu dragão. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2010.

Não sei o porquê de ter demorado tanto para ler “Como Treinar o Seu Dragão”. Agora que terminei, sinto uma saudade imensa de Soluço Spantosicus Strondus III e de seu mal criado filhote de dragão Banguela.

A história é incrível... daquelas que nos prendem do início ao fim, além de proporcionar muitas risadas.

Soluço é o filho de Stoico, O Imenso, o chefe dos vikings. Todos esperavam que o filho fosse igual ao pai: heróico, alto, forte e de dar medo a qualquer criatura da face da Terra. Mas, não. Soluço é um menino de 10 anos, o mais magricelo da turma, aquele que apanha dos mais fortes e é tido como alvo de piada. Contudo, Soluço é inteligente, apaixonado por dragões e estudou até o idioma de dragonês (proibido na época).

Para se tornar um verdadeiro herói viking, Soluço e outros meninos de sua idade devem capturar e treinar um dragão cada um, de preferência o mais poderoso e impressionante de todos. Mas tudo o que conseguiu foi um pequeno filhote desdentado de dragão.

Nesse livro, Soluço nos conta esse momento em que encontrou o seu filhote de dragão Banguela, como foi o seu treinamento e o mais importante: como se tornou um extraordinário Herói Viking e Banguela superou todos os outros dragões poderosos.

Recomendadíssimo!

Por Thais M.

24 de setembro de 2011

Traída - P. C. Cast e Kristin Cast

CAST, P. C.; CAST, K. Traída. Osasco, SP: Novo Século Editora, 2009.

O segundo volume da Série House Of Night, Traída, é repleto de muitas aventuras de Zoey Redbird.

Z. se vê em um triângulo amoroso: Erik Night, seu atual namorado, Loren Blake, seu novo professor, e Heath, seu ex-namorado. Apesar de ter sido marcada como Vamp e possuir dons especiais concedidos pela deusa Nyx, Zoey sofre as crises de uma adolescente normal.

Nos primeiros meses na Morada da Noite, Z. se estabelece e finalmente sente-se incluída e aprende a controlar seus poderes.

Contudo, em Traída, Zoey confirma que a escuridão nem sempre equivale ao mal, bem como a luz nem sempre traz o bem. Lutando contra a morte que se abate sobre os amigos de seu ex-namorado (mortes misteriosas), Z. tenta descobrir, através do poder de seus amigos e de seu dom, quem está por trás desse mistério... e nisso, descobre o quanto foi traída.

Para quem gosta de histórias de vampiros, essa série vale a pena!

Primeiro volume da série House Of Night: Marcada (confira aqui a resenha)
Por Thais M.

23 de setembro de 2011

Branca como o Leite, Vermelha como o Sangue - Alessandro D´Avenia

D´AVENIA, Alessandro. Branca como o leite, vermelha como o sangue. Rio de Janeiro: Bertrand, 2011.

É ótimo esse livro tem um toque muito especial, diferente de quase tudo que já li. Ele tem, digamos assim, uma filosofia um tanto quanto suave e forte ao mesmo tempo. Ele é um livro que vai da dor e passa para a paz de uma maneira rápida e sutil.

Leo é um adolescente que faz o que é normal para os adolescentes: toca sua guitarra, detesta escola, adora o futebol e está apaixonado. Mas, é essa paixão que o torna diferente dos demais. É essa paixão que faz com que ele declare: "Nasci no primeiro dia de aula, cresci e envelheci em apenas duzentos dias". O primeiro amor de Leo o fez um homem, lógico, que um homem que tem muito no que amadurecer, mas o fez homem.

Esse romance me fez navegar e reviver minha vida de adolescente, as dúvidas que tive assim como Léo teve. Este livro faz com que vivamos aquela realidade, que é amarga, mas é doce. Vale a pena se deliciar em cada palavra e refletir a cada frase. Essa história nos faz crescer e nos ajuda a ver que a solução pode estar do seu lado, é só olhar um pouquinho para os detalhes pra perceber que tudo sempre valeu a pena.

Fiquei encantada com esta leitura que cheguei a derramar muitas lágrimas, me fez pensar sobre vários aspectos da minha vida, e achei muito interessante com as comparações de cores que o autor usa nesta história.

Lindo....lindíssimo....aconselho a leitura!!!

Por Marlene S.

21 de setembro de 2011

O Tamanho do Céu -Thirty Umrigar

UMRIGAR, Thirty. O tamanho do céu. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

Ellie e Frank após perder seu filho Benny de sete anos, por culpa de uma meningite, sentem que o casamento está doente. Até que certo dia, Frank recebe uma proposta de emprego para trabalhar na Índia. Então, o casal vêem nesta proposta uma chance de salvar o casamento e deixar as lembranças tortuosas de lado. Chegando a Índia, Frank começa a se apegar a Ramesh, filho de seus empregados da casa.

Ellie percebe que o marido está usando o filho de outro para superar a dor da perda do próprio filho, e ela não acha justo. Ele por sua vez sempre fala que não está roubando o filho de ninguém, que está apenas pensando no futuro do menino, que ele vê muito potencial no garoto e que quer investir.

Essa amizade mudará completamente a vida de todos. A narrativa começa a passos lentos, mas está escrita de uma forma muito gostosa. É uma história de final muito triste, não imaginava que terminaria da forma que terminou me surpreendeu bastante.

Por Marlene S.

13 de setembro de 2011

Uma Estranha Simetria - Audrey Niffenegger


NIFFENEGGER, Audrey. Uma estranha simetria. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.
Que livro estranho, mas delicioso de se ler. Sim, é esse pensamento que tenho ao terminar “Uma Estranha Simetria” de Audrey Niffenegger.

É uma obra diferente de tudo que já li. Em alguns pontos, eu lembrei de “A Sombra do Vento” e “O Jogo do Anjo” do autor Carlos Ruiz Zafón, mas mesmo assim o enredo e o sobrenatural é inédito para mim.

“Uma Estranha Simetria” conta a historia das gêmeas espelhadas Valentina e Julia, filhas de Edie, irmã gêmea de Elspeth. Ambas são unidas em tudo, no gosto pelas roupas, pelas atividades em comum... Contudo, essa simetria acaba sendo abalada com a morte de sua tia Elspeth, que deixa de herança o seu apartamento em Londres.

As gêmeas trocam sua pacata cidade americana pelo pequeno apartamento londrino localizado no fundo do cemitério Highgate. Nessa mudança, elas descobrem que a morte foi a maneira que sua tia encontrou de se aproximar de suas sobrinhas, uma vez que por um motivo sombrio sua mãe e Elspeth não se viam há mais de 21 anos.

Audrey Niffenegger transpõe todas as barreiras do sobrenatural, nos envolvendo de maneira complexa e convincente.

Adorei!

Por Thais M.

9 de setembro de 2011

A Mulher do Viajante no Tempo - Audrey Niffenegger

NIFFENEGGER, Audrey. A mulher do viajante no tempo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.
Henry, um atencioso bibliotecário, sofre de um distúrbio genético raro. De tempos em tempos, sem aviso e sem saber para onde vai ele viaja no tempo. Em qualquer lugar do passado ou do futuro ele aparece nu como veio ao mundo, sem poder alterar nada, apenas tentando sobreviver até voltar ao presente.

Clare viveu uma vida muito diferente de todas as outras garotas, pois aos seis anos de idade conheceu seu futuro marido Henry, ele na época com 36 anos. Com o passar dos anos ela recebeu inúmeras visitas de Henry e é nesse momento que esta história de amor começa.

É uma história de amor épica, doce e ao mesmo tempo avassaladora. Um amor que sobrevive a distância, a separação e até a morte.

Este livro fala da distância e da saudade, principalmente de quem fica. Um amor incondicional que nos mostra não um final feliz, mas sim uma vida feliz. A constante espera de Clare por Henry é triste e encantadora. Ele encontra nela uma tábua de salvação, seu porto seguro, sua luz e seu motivo de viver.

É uma história que te faz acreditar, sonhar e lutar, que te dará força quando você pensar em desistir. Chorei sim no final, pois este livro me mostrou a força do amor e da superação e me ensinou também a dar valor aos pequenos momentos de nossa vida.

Aconselho a ler, pois é o romance que marcou a estréia da escritora Audrey Niffenegger.

Por Marlene S.

Conte-Me Seus Sonhos - Sidney Sheldon

SHELDON, Sidney. Conte-me seus sonhos. 17. ed. Rio de Janeiro: Record, 2010.

Em “Conte-me Seus Sonhos”, o autor Sidney Sheldon relata a história de três jovens acusadas de uma série de assassinatos: Ashley, Toni e Alette.

Através de evidências, a polícia efetua a prisão de Ashley Patterson como responsável por todos os assassinatos. Mas, Toni e Alette não foram presas? Qual o motivo?

Todas são uma única pessoa: Ashley Patterson, que sofre de Transtorno de Personalidade Múltipla.

Com um enredo de tirar o fôlego, Sheldon aborda esse tema muito discutido na sociedade psiquiátrica. Será que Ashley fingiu esse transtorno para se livrar da prisão ou realmente suas personalidades possuíam comando absoluto sobre seu corpo?

Não foi um dos melhores livros que li do autor, mas a história é interessante, valendo as horas que tive de leitura.

Por Thais M.

5 de setembro de 2011

Os Ladrões de Cisne - Elizabeth Kostova

KOSTOVA, Elizabeth. Os ladrões de cisne. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2011.

Sabe aquele livro que quando o finalizamos temos a sensação de que sentiremos saudades dele? Esse é o sentimento exato que sinto nesse momento.

Elizabeth Kostova, autora de “Os ladrões de cisne” criou uma história incrível, repleta de detalhes sobre pinturas, artistas e telas. Enfim, um romance que gira em torno da obsessão de um artista.

O livro conta a história de Robert Oliver, um famoso pintor e professor que é preso ao tentar violar uma obra de arte na National Gallery of Art. Seu estado é lastimável, palavras confusas, não sabe explicar o porquê do ataque, assim, é enviado aos cuidados do Dr. Andrew Marlow, psiquiatra.

Confinado no quarto de um hospital psiquiátrico, Oliver, em silêncio absoluto, nada faz além de pintar quadros de uma misteriosa mulher com vestimentas francesas do Século XIX.

Quem seria essa mulher intrigante? Qual foi o motivo que gerou um ataque ao museu? Movido pela curiosidade profissional, Dr. Marlow embarca numa perseguição em busca dessas respostas, indo além do que é permito na sua profissão: revira o passado de Oliver através do contato com sua ex-mulher e sua ex-amante.

Não quero me prolongar sobre a história. Finalizo com um único pedido: leia “Os ladrões de cisne”. Lindamente escrito... e incrivelmente arrebatador!

Por Thais M.