9 de setembro de 2011

A Mulher do Viajante no Tempo - Audrey Niffenegger

NIFFENEGGER, Audrey. A mulher do viajante no tempo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.
Henry, um atencioso bibliotecário, sofre de um distúrbio genético raro. De tempos em tempos, sem aviso e sem saber para onde vai ele viaja no tempo. Em qualquer lugar do passado ou do futuro ele aparece nu como veio ao mundo, sem poder alterar nada, apenas tentando sobreviver até voltar ao presente.

Clare viveu uma vida muito diferente de todas as outras garotas, pois aos seis anos de idade conheceu seu futuro marido Henry, ele na época com 36 anos. Com o passar dos anos ela recebeu inúmeras visitas de Henry e é nesse momento que esta história de amor começa.

É uma história de amor épica, doce e ao mesmo tempo avassaladora. Um amor que sobrevive a distância, a separação e até a morte.

Este livro fala da distância e da saudade, principalmente de quem fica. Um amor incondicional que nos mostra não um final feliz, mas sim uma vida feliz. A constante espera de Clare por Henry é triste e encantadora. Ele encontra nela uma tábua de salvação, seu porto seguro, sua luz e seu motivo de viver.

É uma história que te faz acreditar, sonhar e lutar, que te dará força quando você pensar em desistir. Chorei sim no final, pois este livro me mostrou a força do amor e da superação e me ensinou também a dar valor aos pequenos momentos de nossa vida.

Aconselho a ler, pois é o romance que marcou a estréia da escritora Audrey Niffenegger.

Por Marlene S.

Nenhum comentário: